Lista Telefonica Online de Lagoa da Prata MG
 
 

_ _

Lagoa da Prata MG Tenha uma boa madrugada !, 25 de Abril de 2014

 

 

Lista Telefonica e Guia Comercial de Lagoa da Prata MG

 

 

 

História

Por volta de 1789, ao desmembrar-se de Tiradentes, foi criado o município de Itapecerica constituído de 34 distritos (ou divisões) chamados ordenanças do reino. Dentre eles, havia uma parte chamada de Pântano, a 12a localizada. Outra era o município de Santo Antônio do Monte.
A decadência das minas na Província ocasionaram certa evasão de mineradoras à busca do ouro descoberto no outro lado do Rio São Francisco em Goiás Velho e Paracatu. Essa afluência ocasionou o deslocamento de pessoas nas margens são-franciscanas, inclusive buscando a Picada de Goiás – próxima do reduto – e o Pântano começou a ser povoado.
Na segunda década do século XIX, um português chamado Manuel Novato, ao adquirir certa área rural, perto do lugarejo, construiu um aterro a frente de um brejo, onde uma lagoa foi formada. Eram buscados recursos hidráulicos para atenderem artifícios utilitários.
No ano de 1841, os irmãos Francisco e Alexandre, filhos de Fortunato José Bernardes – vindos de Carmo da Mata (junto a dois outros irmãos: Carlos e Amâncio) – assumem o controle da passagem sobre o Rio São Francisco. Pouco depois, um filho do Amâncio, de nome Carlos José (que havia se casado na cidade de Oliveira e se tornara viúvo), casa-se com Alexandrina, sua prima, filha de Francisco, quando edifica um sobrado, próximo à lagoa e passa a morar no palacete que mais tarde tomou o nome de "Museu Dona Alexandrina". Era 1875.
Após ter-se tornado num homem riquíssimo, e até motivando o título de "coronel", Carlos José Bernardes Sobrinho e dois cunhados: Alexandre e Rodolfo, além de Cirilo Maciel, traçaram certa área urbana, mandando edificar uma capela no centro. Era o Pântano em organização e a chegada do fim do século XIX..
Subitamente morre o Coronel Carlos Bernardes no dia 2 de Janeiro de 1900. Chamado a celebrar a 1a missa na capela ainda em construção, o Monsenhor Otaviano José de Araújo, vigário de Santo Antônio do Monte dá a capela o nome de São Carlos e, numa homenagem ao grande líder desaparecido, conclama o povo a alteração do nome do lugar que passa a chamar-se São Carlos do Pântano.
Em fevereiro de 1916, ao criar-se a via ferroviária da região, foi dado a estação daqui o nome da lagoa. E em fevereiro de 1925 o povoado é elevado á categoria de Distrito quando recebe o nome da estação, noutra mudança à toponímia: Lagoa da Prata.
Com a criação do Bispado de Aterrado, em 1923, no mês de Julho de 1932 o Bispo Diocesano Dom Manoel Nunes Coelho criou a Paróquia de Lagoa da Prata que passa ter São Carlos Borromeu por orago ou protetor.
O Distrito cresce e se desenvolve rápido, justificando-se a sua elevação à categoria de Município. Essa emancipação sonhada e pleiteada acontece no dia 27 de Dezembro, de 1938, quando se desliga, administrativamente, de Santo Antônio do Monte, de que se originara.
Mas é em 11 de Agosto de 1977 que consegue elevar-se à categoria de Comarca que se constitui através dos municípios de Lagoa da Prata e Japaraíba.
O padroeiro da cidade é São Carlos Borromeu.

Origem do Nome

Por volta de 1862, quatro Missionários Franciscanos, liderados por D. Eugênio Maria de Gênova, passando por ali para suas pregações religiosas, viram a beleza da lagoa sem nome e encantados com o panorama, deram-lhe o nome de Lagoa das Pratas, conforme a história registra. Esse nome foi sofrendo alterações na pronuncia até formalizar-se o nome atual: Lagoa da Prata.

Geografia

O município de Lagoa da Prata está situado a 658 metros de altitude e apresenta como clima predominante o Tropical de Altitude. A temperatura média anual é de 21,8°C, sendo que no verão pode passar da casa dos 30°C e no inverno ir próximo a 0°C.
A cidade está situada em uma das regiões de Minas Gerais que registra os maiores índices pluviométricos e possui duas estações do ano bem definidas: um verão chuvoso e quente entre os meses de outubro e março, e um inverno frio e seco entre maio e setembro. A precipitação média anual é de 1512mm.
A cobertura vegetal natural predominante é o Cerrado e suas variantes, porém hoje apenas pequenos remanescentes da vegetação natural encontram-se intactos, devido ao intenso desmatamento para cultivo de pastagens e atividades agrícolas como a cultura da cana-de-açúcar.
Em parte do município encontram-se regiões de cerrado propriamente dito (gramíneas, arbustos e árvores esparsas com caules retorcidos e raízes longas), regiões de formação florestal conhecidas como Cerradão (principalmente em regiões mais férteis e de melhor oferta hídrica), campos limpos (com predomínio de gramíneas), matas ciliares (matas que acompanham os rios) e veredas (solos encharcados com ocorrência abundante de buritis (Mauritia flexuosa), muito comuns em Lagoa da Prata, como observado na própria Praia Municipal e no Parque dos Buritis).
Lagoa da Prata está localizada no Centro-Oeste de Minas Gerais, no Alto São Francisco, com área de 442 km², a 211 km de Belo Horizonte, capital do estado. Sua economia é baseada na agropecuária voltada principalmente para laticínios, usina de açúcar e hoje é também um polo de desenvolvimento de fábrica de bichos de pelúcia.
Conta ainda com diversas empresas do segmento de duas rodas (distribuição de peças e acessóris para motos e bicicletas)e uma empresa do setor farmacêutico.
O município é praticamente tomado nos arredores por plantações de cana-de-açúcar. Quando não estão plantadas em terreno próprio da Usina local (pertencente a família Luciano pereira e arrendada ao Grupo Francês Louis Dreyfus), estão plantadas em terrenos arrendados de antigos produtores rurais.

Demografia

Sua população estimada em 2010 era de 45.999 habitantes. Assim como a população mineira em geral, a população lagopratense é formada por uma grande diversidade de povos, que inclui índios, bandeirantes paulistas, portugueses e africanos.
A maior parte da população é composta por descendentes de portugueses que migraram para Minas Gerais no século XVIII, provenientes, em sua grande maioria, da região do Minho, no norte de Portugal, e outras regiões como Beira Alta, Alto Trás-os-Montes e do Arquipélago dos Açores.
Descendentes de africanos formam importante parte da população, sendo que a maioria encontra-se hoje miscigenada com povos de outras etnias, principalmente lusitanos e povos indígenas autóctones.
É notável também a presença de descendentes de povos europeus que migraram mais recentemente para o estado, majoritariamente italianos e em menor escala, alemães, espanhóis, russos e franceses. Descendentes de povos asiáticos também estão presentes, principalmente japoneses e libaneses.
O desenvolvimento de Lagoa da Prata, conforme IBGE, está sustentado no crescimento demográfico pois ao tornar-se sede do município, em 1938, a cidade só contava com 2.417 habitantes. Em 1950 o número cresceu para 3.148, em 1960 chegou a 6.852 e em 1970 a 12.514. Logo passou a contar com 19.974 em 1980 e 28.116, em 1990. O recenseamento de 1997 apontou a existência de 33.807 almas no município quando se mostrou nem 2% dessa população estar residindo na zona rural e sim quase totalmente compactada na cidade.
Tais números são relevantes ao conceito "progresso", o que é assaz representativo ao município. E, considerando o seu último índice de crescimento: 2,33% a/a, hoje tem 47.007 (estimativa IBGE para 2009) habitantes, aproximadamente, o que representa ver-se já, Lagoa da Prata, incluída no rol das primeiras cidades e no 67o lugar dentre os mais populosos e importantes municípios mineiros, apesar de contar com uma área tão pequena: 423km²."

Economia

A Usina de Lagoa da Prata não possui cana-de-açúcar plantada em terras próprias, a única fazenda pertencente a "LDC Bionergia" é a "Fazenda Capoeira da Cana" onde se encontra o Parque Industrial.

Turismo

A cidade oferece atrativos turísticos naturais e de interesse ecológico, monumentos históricos e atividades ecoturísticas praticadas na região.
Rio São Francisco
Rio com aproximadamente 40 metros de largura em período de seca. Nas enchentes formam imensos lagos. O rio dá um grande potencial à pesca esportiva e ao turismo ecológico e lazer nas praias formadas por bancos de areias. São espécies comuns: o mandi, surubim, curimbatá, piaus, curvinas e piranhas. As margens do Rio São Francisco estão sendo recuperadas, no sentido de arborização, através de matas ciliares.
Lagoa Feia
A Lagoa Feia, assim denominada, porque quando o Rio Francisco transborda, suja suas águas, tingindo de ocre, isto é, ficam da cor do rio. Fica a 07 km da cidade e ao lado dela passa o Rio São Francisco, com a Ponte Olegário Maciel, de 1925, na estrada Lagoa da Prata Luz a 09 km de Lagoa da Prata. Na margem sul da lagoa existe uma elevação de calcário (Mata da Mulata), com muitas cavernas e uma mata nativa virgem.. A lagoa tem cerca de 60 Há e aproximadamente 6 m de profundidade no ponto mais fundo. São abundantes as piranhas, traíra e piau. A lagoa é um berçário de peixes, que atraem muitos animais. As garças completam o espetáculo do pôr do sol.
Lagoa Verde
A Lagoa Verde tem um grande potencial turístico, porém deve ser antes devidamente despoluída. Tem uma área aproximada de 2 Km2, 4,5 km de água e 1,5 km de capim em uma de suas nascentes e uma largura média em torno de 250m. Sua bacia tem aproximadamente 90 km 2, dois córregos importantes, um terceiro bem menor e algumas pequenas nascentes formam esta lagoa. Na sua margem direita existe uma mata de aproximadamente 3 km². Na saída de suas águas existe uma pedreira de calcário com uma pequena mata primária.
Cachoeira Cemeguinha
A Cachoeira Cemiguinha está localizada aproximadamente a 20 km de Lagoa da Prata. É uma cachoeira branda com várias pequenas quedas d'água e algumas piscinas naturais. Um bom local para passar um dia bastante agradável. Possui praias de areia e ótima arborização. O nome Cemiguinha deve-se ao fato de que neste local funcionava uma Usina, que gerava energia para a Cidade de Lagoa da Prata.
Cachoeira do Rio Jacaré
É uma pequena queda d'água com corredeiras de aproximadamente 5 m de desnível. Acima o rio é suave, raso e arenoso. Abaixo forma uma prainha, logo mais abaixo existe um pequeno afluente na margem direita que é também arenoso. A vegetação circundante é frondosa com árvores centenárias. É um bom lugar para fazer um pic nic.
Cachoeira do Quiabo Assado
Está localizada no município vizinho de Santo Antônio do Monte. Cachoeira com Tobogã natural e um pequeno poço em baixo. O córrego fundo é arenoso e espraiado com cerrado nas Matas Ciliares. Está localizada a 32 km de Lagoa da Prata rumo ao sul.
Barragem do Rio Santana
É uma pequena barragem com aproximadamente 20 m de largura e 5 m de altura. Como o Rio Santana possui muita areia, o lago já assoreou totalmente. A água que passa por cima, caindo de uns cinco metros, é o principal atrativo. Desta barragem sai um canal que conduz a água até ao gerador (canal e gerador estão abandonados). De baixo da queda da barragem o rio corre em pedras com cachoeiras. A vegetação nas margens está preservada.
Praia do Santana
O Rio Santana é um rio com muita areia, tem 65 km desde a sua nascente no município de Santo Antônio do Monte, próximo a Formiga até o Rio São Francisco. Antes dele atingir Lagoa da Prata, é as vezes encachoeirado, com a vegetação das margens abundante e muita bonita. No nosso território o Rio fica muito plano, formando belas praias. A areia produzida no Santana, grande parte é vendida para a construção civil, nela encontram-se fragmentos de cerâmicas ou utensílios de índios. Em seu leito e nos barrancos há muita argila. Os peixes encontrados são: mandi, traíra, piaba, etc. O rio é muito raso (20 cm), nas curvas formam poços de até 1,80. Suas águas são turvas.

Monumentos Históricos

Ponte Olegário Maciel
A Ponte Olegário Maciel foi fundada em 1925, para ligar as cidades de Lagoa da Prata e Luz. A cidade de Lagoa da Prata possuía estação ferroviária e a cidade de Luz, uma grande plantação de café e com esta Ponte tornaram-se mais acessível à integração das duas cidades. A Ponte veio da Alemanha onde o Vereador Alexandre Bernardes Primo conseguiu a sua doação através do Presidente Melo Viana. A Ponte foi feita de aço e piso de concreto com pilar de cimento e pedra. Tem extensão de 75 metros e 3,5 de largura. Sua estrutura metálica está boa, mas o concreto está ruim, necessitando de reforma e manutenção. A Ponte Olegário Maciel recebe um número maior de visitação na época das enchentes, onde em 1977 teve seu maior número de visitantes, devido a extensão da enchente. A Ponte foi reformada em 1979 pela CODEURB.
Estação Ferroviária
A Estação foi inaugurada em 29 de Fevereiro de 1916, que recebia o nome de Estação de Lagoa da Prata, com a função de receber passageiros e cargas. Tem uma área de 122 m² de área construída, estando localizada a 200 metros da Praia Pública Municipal. A Estação Ferroviária é uma construção de alvenaria, com telhas francesas e janelas de madeira (cedro). A Prefeitura Municipal adquiriu o imóvel cedendo para o funcionamento da ASF – Associação Ambientalista do Alto São Francisco. No governo municipal 1997-2000, a Estação foi doada para a Fundação de Cultura e Turismo de Lagoa da Prata, conforme Lei no 879/99. Atualmente continua funcionando no local a Associação Ambientalista do Alto São Francisco – ASF.
Museu
Situado na Praça Dona Alexandrina, na casa que pertenceu ao Cel. Carlos Bernardes, fundador da cidade. A data de sua construção é de 1875, e foi edificado em tijolos de adobo, sua madeira é toda de aroeira e coberto com telhas tipo canoa. Casa tipo colonial, tem 442,92 m² de área de construção. Consta de 21 cômodos, entre quartos e salas e, no centro, existe um pé de Alecrim, que é centenária. Esse prédio quando adquirido pela Prefeitura em 1977, estava prestes a arriar, pois o madeiramento do telhado fora atingido pelo caruncho, permitindo que o mesmo selasse, criando grandes claros na sua cobertura. Foi inteiramente reconstituído pela Prefeitura Municipal, que lhe devolveu toda graça e o encanto de seus primeiros anos. Em 1989 este prédio era aberto à visitação, abrigava algumas peças que pertenceram ao Coronel, fundador da cidade, grande acervo de pinturas, coleção de retratos e outras curiosidades que o tempo preservou para nossa recordação. No governo municipal 1997-2000, o Museu foi doado para a Fundação de Cultura e Turismo de Lagoa da Prata, conforme Lei no 879/99. Atualmente o Museu encontra-se desativado e em ruínas. Existe um projeto arquitetônico de recuperação e reforma, necessitando de recursos financeiros para execução da obra.
Igreja Matriz São Carlos Borromeu
A igreja teve sua construção iniciada em 1942 e só concluída doze anos depois: em 1954, tendo sua primeira restauração em 1986, quando ela conseguiu um maior espaço e beleza. O Altar Mor recuou cerca de 10 metros, abrindo espaço também para as laterais, proporcionando o dobro de capacidade em lugares. Por trás do Altar Mor, uma obra de Heleno Nunes (China), com o painel Cristo Ressuscitando, em todo seu esplendor e beleza celestiais. Por volta de 1993 o Altar Mor ganha outro painel também pintado por Heleno Nunes.
Casarão Donana
Construído a 1700 metros da Praça da Matriz, no ano de 1880 por Rodolfo Bernardes, pai de Donana, esposo de Maria Rita (ele cunhado duas vezes do fundador Coronel Carlos Bernardes). Casa em estilo colonial português, tendo as fachadas repletas de janelas verticais, com forma interna de guilhotina, com vidros lisos e na parte externa, duas bandeiras pivotantes de madeira fechadas. A estrutura é de esteios e travamentos de aroeira. As paredes externas são de adobo e as internas de pau-a-pique como toda casa desta época. Possui um porão com altura média de aproximadamente 2,50 cm. Estes porões são bastante úteis, pois além de isolar a casa do chão, diminuindo a umidade, proporciona um ótimo abrigo. A residência com piso de tábuas, tem o pé direito de 4 m para diminuir o calor interno. O forro da sala principal é de madeira trabalhada e os outros cômodos de esteira de bambu. O telhado tem quatro águas, com inclinação de 50%, tem telhas cerâmicas tipo "capa e bica", feitas na região. A casa era originalmente de caiação nas paredes, rebocadas com cal, areia e estrume de boi. As madeiras das janelas, portas, esteios, forro dos beirais, enfim, todas as madeiras que ficam expostas, eram pintadas de anil. Rodolfo morreu em 1890, deixando a casa para D. Maria Rita e seus filhos. D. Maria Rita morreu em 1934. A proprietária seguinte, D. Donana, fez um pomar e horta muito diversificados, produzia leite e derivados que abasteciam a cidade (na época pequena). Donana morreu em 1966, deixando a casa para seu filho, José Alexandre, que em 1977 a vendeu para seu primo, José Maurício Maciel. Recentemente foi reformada e suas telhas trocadas por novas, descaracterizando-a. Esta casa é sem dúvida a mais bem preservada de nosso patrimônio.

Atividades ecoturísticas praticadas da região

Lagoa da Prata é também conhecida nacionalmente por abrigar os melhores jogadores de Truco do Brasil, com torneios realizados mensalmente no "Bar do Caçapava". Na cidade é realizado também, semestralmente, o mais conhecido e difícil campeonato de Truco do Brasil, o "Campeonato Oeste Estrela Clube de Truco".
Treking (caminhada longa) – Praticada na região do Catingueiro, percurso de 8 km e na Matinha.
Hikking (caminhada curta) – Praticada nos seguintes locais sem graus de dificuldades
Jacaré, 30 km de caminhada, trilhas no cerrado com cachoeira
Martins Guimarães, 20 km de trilhas de cerrado
Catingueiro, 15 km, região calcária e animais silvestres
Rapel (descida com cordas em cachoeiras, paredões e abismos) – Praticada nos seguintes locais
Catingueiro, 50 metros
Espinhaço, 35 metros
Forquilha, 30 metros
Matinha, 30 metros
Mountain Bike – Praticado nos seguintes locais sem graus de dificuldades
Jacaré, 30 km de caminhada, trilhas no cerrado com cachoeira
Martins Guimarães, 20 km de trilhas de cerrado
Catingueiro, 15 km, região calcária e animais silvestres
Canoagem – Praticada nos seguintes locais sem graus de dificuldades
Lagoa Verde
Praia Pública Municipal
Rio São Francisco
Cavalgada– Praticada nos seguintes locais sem graus de dificuldades
Jacaré, 30 km de caminhada, trilhas no cerrado com cachoeira
Martins Guimarães, 20 km de trilhas de cerrado
Catingueiro, 15 km, região calcária e animais silvestres
Moto Traill – Praticado nos seguintes locais:
Martins Guimarães, 5 km de trilhas de cerrado
Catingueiro, 15 km, região calcária e animais silvestres
Cascalheira, 8 km
Algumas modalidades de esportes (rapel, moto traill), são realizadas em Ponte Pedra, distrito de Lagoa da Prata, e em Espraiado, distrito de Santo Antônio do Monte.

 

Carnaval de Lagoa da Prata

O Carnaval de Lagoa da Prata é referência na região.
A festa é realizada na Praça de eventos, próxima à Praia Municipal de Lagoa da Prata, e inclui presença de trio-elétrico, música ao vivo na praia municipal, matinê infantil na Praça de eventos, carnaval da família e rodízio de bandas.
No carnaval da praia é realizado karaokê ao vivo, concurso de dança, lambaeróbica e muitas brinacadeiras. Na matinê infantil ocorre o concurso da melhor fantasia. No Carnaval da Família destaca-se a escolha do casal mais animado, do Rei Momo e da Rainha do Carnaval.

©2010 Lista Telefonica e Guia Comercial de Lagoa da Prata MG DiviFacil - Um novo conceito em Informação.


Fatal error: Call to undefined function publicidade() in /home/divif/public_html/segmentosgeral.php on line 228